imagem header

Tomate e suas particularidades

30/10/2018

O tomate é uma hortifrúti presente na mesa de muitos brasileiros. A fruta tem várias aplicações, de pratos crus a molhos, e agrada o paladar de um grande volume de pessoas. Dada essa dimensão, cabe observar o mercado do tomate no Brasil e no mundo. Dados de 2012/2013 mostram que os maiores produtores são o Brasil, a China, a Índia, os Estados Unidos, a Turquia, o Egito, a Itália, o Irã, a Espanha e o México. Juntas, as nações produziram, no mesmo período, o equivalente a 74,2% da produção global da fruta.

Segundo o Anuário Brasileiro do Tomate publicado pela editora Gazeta, em 2016 a produção de tomate alcançou 3,7 milhões de toneladas, sendo os estados de Goiás, São Paulo e Minas Gerais os três principais produtores – responsáveis por 98% da área produzida do fruto no país. No mundo, os destaques foram os Estados Unidos, que produziram no mesmo ano o montante de 11,9 milhões de toneladas, seguidos pela China com 5,4 milhões e pela Itália com 5 milhões.

A cultura

O tomate possui peculiaridades quantos aos tratos culturais. O solo precisa estar bem drenado, profundo, areno-argiloso e com pH entre 5,5 e 6,5; o clima deve ser ameno; o espaçamento deve ser de 50 a 60 centímetros; e a colheita deve ser feita entre 90 a 110 dias a partir do transplante. O tomate não deve estar maduro para a colheita, pois fora do pé o fruto segue a amadurecer, o que garante maior rendimento ao produtor.

Cuidados no trato

Para atender à demanda, os produtores investem nos métodos de produção a fim de garantir a entrega aos consumidores. O fruto pode ser cultivado em estufas ou fora delas, desde que respeitados os tratos adequados. Em Wenceslau Braz, interior do Paraná, a Fazenda Takii de Moura produz 450 caixas de tomate a cada mil plantas cultivadas em cinco estufas com quatro mil pés por estufa. “Nós escolhemos plantar em estufa porque em campo aberto a planta aglomera muito veneno e, na estufa, esse volume é reduzido. Nosso objetivo é produzir um alimento mais saudável”, declara o gerente Edivaldo Frandini. Os longos corredores fechados por telas vermelhas resguardam as plantas, que são colhidas à mão a cada fim de safra pelos funcionários da fazenda.

Mais Notícias