imagem header

União familiar é crescer no campo

29/06/2018

A agricultura familiar propulsiona o crescimento do Brasil, gerando oportunidade e lucratividade. O setor representa 84% dos negócios no campo e é responsável pela produção de 50% dos alimentos que compõem a cesta básica brasileira, o que dimensiona a importância para a economia nacional.

No Rio Grande do Sul, a agricultura familiar representa entre 27% e 30% do Produto Interno Bruto, de acordo com dados do Ministério de Desenvolvimento Agrário. Dada a dimensão, cabe destacar a atuação dos produtores, responsáveis por gerar postos de trabalho e renda.

Em Arroio do Meio, cidade localizada no Vale do Rio Taquari, Luis Roberto Kuhn Steffens trabalha ao lado do irmão Lucas e do pai Verno. “O negócio começou com o meu avô e foi passando de geração para geração”, explica. Atualmente, em 16 hectares próprios e 60 arrendados, cultiva soja, milho e trigo, além de manter 40 bois no sistema de confinamento. “O trabalho no campo exige uma grande dedicação, pois só faz quem gosta. Por estarmos em família, podemos trocar ideias. Os desafios são muitos e, assim, podemos encarar do melhor jeito”, declara.

Sistemas de cultivo

Na lavoura, a família investe no sistema de plantio direto e análise de solo, a fim de garantir a produtividade. De acordo com a Embrapa, o plantio direto é uma técnica de cultivo conservacionista, que ocorre sem as etapas do preparo convencional de aração e gradagem. Nessa técnica, o agricultor mantém o solo sempre coberto por plantas em desenvolvimento e resíduos vegetais, que protegem o solo do impacto direto da chuva, do escorrimento superficial e das erosões. Na análise do solo, o produtor coleta amostras para estudo para aplicação dos melhores manejos, técnicas e produtos, a fim de garantir a alta produtividade, independente das condições locais.

Confiança

Clientes da Massey Ferguson, eles adquiriram recentemente um MF 6713 R Dyna-4 - o trator é reconhecido pela tecnologia embarcada e pelo rendimento no campo. Luis conta que os motivos pelos quais o levaram à aquisição são tecnologia, conforto, agilidade e baixo consumo de combustível. Além dessa máquina, na propriedade tem os tratores MF 4275 e MF 275 e uma colheitadeira MF 5650. “Desde o nosso primeiro trator não tivemos problema. Com isso, aumentamos a confiança na marca”, ainda afirma que o relacionamento com a Samaq -concessionária que o atende na região, é “uma relação boa, o atendimento com assistência e visita do pessoal de pós-venda são ótimos”.

Mais Notícias