imagem header

Delarco Agrícola: alta tecnologia em todo o processo produtivo

08/06/2018

A tecnologia avança constantemente e, para manter-se à frente no mercado, o produtor rural precisa acompanhar as evoluções. A Delarco Agrícola, localizada em Monte Azul Paulista, no interior do Estado de São Paulo, investe na modernização das máquinas e processos para garantir máxima produtividade. Atualmente, empresa cultiva cana-de-açúcar e palmito pupunha e fornece serviços de colheita mecanizada, preparo de solo e sulcação de plantio.

A empresa é administrada pelos irmãos Renato e Ricardo Delarco, engenheiros agrônomos. “Antes de tudo, somos agricultores de coração”, afirma Renato. Na empresa, além de prestar serviços, produzem cana-de-açúcar e palmito pupunha. “Nós possuímos produção própria de cana-de-açúcar e realizamos o preparo do solo, o plantio, a colheita e os tratos culturais”, explica Renato. O palmito é cultivado em áreas em que há restrição para o plantio da cana-de-açúcar, como em regiões com linhas elétricas ou com redes de alta tensão.

Modernização no campo

Atentos às novidades tecnológicas do mercado, adquiriram recentemente um trator MF 7725 Dyna-6, lançamento da Massey Ferguson, junto à concessionária Agrolíder, que possui lojas em São José do Rio Preto e Votuporanga. “Os requisitos para comprarmos esse trator estão ligados à qualidade do equipamento e à tecnologia embarcada. Por ser um trator de alta potência, nos atende com eficiência nas operações. Além disso, há o fator de pós-venda, pois as concessionárias da marca possuem capacidade de nos fornecer suporte adequado e com rapidez”, garante. Na empresa, a máquina é utilizada no preparo do solo e na sulcação de plantio com o piloto automático que, além disso, ajuda a direcionar as ações evitando danos às linhas da cana-de-açúcar.

Tecnologia em todas as etapas produtivas

A Delarco Agrícola realiza o preparo do solo a partir de análises e técnicas de agricultura de precisão com o uso de taxas variáveis na aplicação de corretivos. No plantio, utiliza-se de planejamento realizado em laboratórios topográficos para aplicação nos tratores e alocação das variedades de cana-de-açúcar com perfis específicos para os locais mais adequados de plantio. Na colheita, aplica os índices do piloto automático para não danificar as linhas da cultura ao longo da atividade. Nos tratos culturais, realizam a aplicação de insumos de alta qualidade com o uso de equipamentos modernos e precisos. “Estamos melhorando os equipamentos da agricultura de precisão e, por isso, estamos em fase de aquisição de um pulverizador MF 9130 Plus para melhorarmos o desempenho e a qualidade na aplicação dos defensivos”, comenta. 

“A Massey Ferguson faz parte da nossa história”

Renato conta que a marca está presente na família Delarco desde a época de Joaquim, o patriarca que trabalhava com café e citrus. “Sempre tivemos o apoio das concessionárias da região. Hoje, temos mais do que negócios, mas amigos de décadas. A Massey Ferguson tem equipamentos de alta tecnologia que atendem aos nossos requisitos de eficiência no campo”, destaca. Ele destaca o trabalho da concessionária Agrolíder, atuante no mercado e interessada na interação com os agricultores. “Estão sempre buscando soluções eficientes e seu respaldo no pós-venda tem sido muito bom. Isso certamente diferencia a marca das concorrentes”, enfatiza.

Agro em São Paulo e no Brasil

O estado de São Paulo é uma potência agrícola, com Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio representando cerca de 20% do PIB nacional. Com diversidade produtiva, a região é cenário de grandes oportunidades no setor. “Trabalhar com agricultura no interior de São Paulo é estimulante, pois temos grandes desafios, como melhorar a produtividade da cana-de-açúcar acima dos três dígitos e mantê-la com o maior número de cortes possíveis”, argumenta Renato. Para ele, com os desafios, estão as oportunidades de investimento em tecnologia para a agricultura de precisão. “São Paulo está avançando em tecnologia a passos largos e o agricultor precisa se manter atualizado para crescer no ramo”, ressalta.

Mais valorização no campo

Renato avalia o perfil que a população traça do agricultor e reforça a necessidade de maior visibilidade para o trabalho no campo. “Esperamos que no futuro a agricultura seja mais valorizada pela população, reconhecendo que somos nós os agricultores que colocamos o alimento na mesa de todos e que não somos destruidores da natureza. Somente assim vamos valorizar e respeitar o homem do campo, dando o devido retorno à atividade que ele executa”, conclui.

Mais Notícias